Onde se ganha mais e onde se ganha menos

por A. C. Mattos
fev-2006

A revista The Economist ( www.economist.com ) constuma publicar o preço do sandwich Big Mac nos vários paises. Como é um produto padronizado e item não supérfluo (alimentação), tais preços são divulgados como "The Big Mac Index".

Ocorre que apenas o preço em si não é suficiente para indicar se ele é caro ou barato. Por exemplo, na Croácia e nas Ilhas Fiji, ele custa os mesmos US$ 2.50. No entanto, a Produto Nacional per capita da Croácia é de US$ 11.200 por ano (aproximadamente, quanto ganha anualmente em média um habitante desse pais), enquanto que o das Ilhas Fiji é quase a metade, US$ 5.900 por ano (dados de 2004/2005). Assim, o Big Mac custa o dobro nas Ilhas Fiji do que na Croácia. ou, em outras palavras, na Croácia se ganha o dobro do que nas Ilhas Fiji, sempre usando o Big Mac como referência.

Com base nesse raciocinio, foi construida uma tabela, onde a relação "preço do Big Mac sobre o Produto Nacional Bruto per capita", ambos em US$, foi calculada. Quanto menor esse número, mais bem remunerados são os habitantes do pais.

O resultado é que os cinco paises onde se ganha mais para comprar um Big Mac são: Qatar, Hong Kong, Macau, EUA e Singapura. E os cinco onde se ganha menos são: Jordão, Sérbia, Nicarágua, Moldávia e Paquistão.

Nessa tabela, uma linha amarela separa os 33 primeiros paises, onde se ganha mais, dos restantes 32, onde se ganha menos. Nessa escala, o Brasil está abaixo da linha amarela, na posição 44, em 65 paises, indicando que aqui se ganha pouco para comprar um Big Mac. Ou então, que o Big Mac está muito caro para o nivel de renda dos brasileiros.