Tropas da ONU pagam por sexo infantil na Libéria, diz ONG

BBC Brasil, 08-mai-2006

Soldados da ONU (Organização das Nações Unidas) estão pagando para ter sexo com meninas de até oito anos de idade com dinheiro ou itens de necessidade básica, segundo uma denúncia da ONG britânica Save the Children (Salve as Crianças).

Além de capacetes azuis, há agentes humanitários e empresários locais que participam dos abusos, diz um relatório da organização publicado nesta segunda-feira.

Segundo a Save the Children, o fato de acusações semelhantes já terem sido feitas envolvendo países como a República Democrática do Congo não aumentou a segurança das crianças.

"Apesar dos compromissos feitos em 2002 por ONGs, ONU e tropas de paz para melhorar o monitoramento mundial de recrutamento e comportamento dos funcionários, crianças vulneráveis ainda estão trocando sexo por necessidades básicas e indivíduos abastados regularmente compram sexo com menores", diz o relatório.

"Posição de poder"

A entidade defende que "homens que usam posições de poder para se aproveitar de crianças vulneráveis" sejam denunciados e demitidos e que seja dado mais apoio às famílias para que possam garantir sua sobrevivência sem desespero.

O estudo foi baseado em entrevistas com crianças e adultos feitas em acampamentos temporários construídos para abrigar os refugiados internos, pessoas que abandonaram as suas casas para fugir da violência gerada por duas guerras civis no país.

Crianças e membros de comunidades de refugiados afirmaram que meninas vinham sendo submetidas a exploração sexual por adultos em posições de poder, como funcionários de ONGs, integrantes de forças de paz e pessoas ricas da região.

A organização faz um apelo à nova presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf para tomar medidas contra a exploração sexual de crianças.